A  - Linha do Tempo:

 

Durante mais de 35 (trinta e cinco) anos de vida profissional, tanto nas áreas  Telecomunicação, Pesquisa Operacional, Análise de Sistemas e Engenharia de Rede, Ciência da Informação e Ciência da Computação  eu desempenhei várias atividades técnicas, administrativas, de planejamento, de consultoria, de pesquisa e de ensino. Nossa primeira atuação profissional relacionou-se à construção das facilidades dos meios de comunicações e de redes de telecomunicações. Na segunda fase, o nosso foco passou a ser a análise de dados, os modelos matemáticos, a pesquisa operacional, os métodos estatísticos, os Grafos e as redes de transporte. Num terceiro momento, voltamo-nos para as redes de computadores, as redes de valor agregado, as redes corporativas, os sistemas de informação, a Intranet e a Internet. Mas, nos últimos anos minha atenção voltou-se plenamente para a Arquitetura da Informação, Gestão do Conhecimento e Comunicação da Informação, Programação de Computadores, Sociedade e Informática, Ontologia e Web Semântica, atuando nas  áreas da Ciência da Informação, Ciência da Computação e Comunicação, foco interdisciplinar  (TIC).

B - Áreas de Formação:

 Engenheiro Eletrônico (Elétrica/UnB). Engenheiro de Redes de Telecomunicações (1980). Foi Chefe de Seção de Telecomunicações do Sistema Telebrás (1978). Mestrado em Pesquisa Operacional/Teoria dos Grafos (Estatística e Métodos Quantitativos) pela UnB (1981).

Especialização em TICs – participamos como Aluno do Curso Especialização em Teleinformática e Controle de Processo do Departamento de Engenharia Elétrica (1983-84). Chamamos atenção para o fato de que todas as disciplinas foram dadas em nível pós-graduação, os professores eram doutores da UnB e UNICAMP. Disciplinas: Estrutura de Dados (MS); Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais (MS); Rede de Computadores (MS); Tópicos em Técnicas Digitais e Banco de Dados (MS).

Mestrado em Engenharia Elétrica – Telecomunicações (1985-1986), cursando 10 disciplinas ao todo, foram 34 créditos obtidos, todos os professores em nível de doutorado. A dissertação teve a sua conclusão interrompida devido a outras prioridades da ECT. O campo de pesquisa era inteligência artificial, nós tivemos a oportunidade de usar a inteligência artificial para desenvolver sistemas gráficos e sistemas especialistas. Utilizamos a linguagem Pascal e depois a linguagem LISP para escrever o sistema especialista (software). O objeto de pesquisa era a construção de um 'engenho' para composição musical.

Professor Universidade Católica de Brasília e Professor do CEUB. Fez parte do Conselho Editorial do Programa GESAC/Ministério das Comunicações (2011).

C  - Áreas de atuação e pesquisa:

Ciências da Computação, Informação e Comunicação;  Ensino de TIC; Sistemas Colaborativos; Informática e Sociedade;   Web Semântica; Inclusão Digital; Cidades Digitais; Competência em Informação, Redes Sociais  e Avaliação de Programas de Inclusão Digital e Inovação. 

i)   Programa de Pesquisador visitante da University of Washington: Lá tive a oportunidade de participar de discussões, estudar, ter acesso às informações recentes e atualizadas nos acervos das Bibliotecas, apresentar nossas pesquisas e atividades na FCI/UnB em inclusão digital, e contatos com professores e pesquisadores daquela instituição. A nossa interação inicial foi com a Information School - iSchool, (http://www.ischool.washington.edu/),  quarto lugar em termo e publicação no mundo em 2007.   Tive contatos com alguns professores e pesquisadores e com a Professora Karine Barzilai-Nahon (http://projects.ischool.washington.edu/karineb/) e conheci a sua produção científica, fato fundamental para nossa reflexão sobre a linha de pesquisa adotada no Projeto de Pesquisa, até então. Ela é uma pesquisadora de notório conhecimento nos campos da Ciência da Informação, com destaque em inclusão digital.

ii) Pesquisador visitante do Centro de Informação e Sociedade.  A nossa agenda passou pela apresentação do Programa GESAC, discussão do nosso projeto de pesquisa em redes sociais, inclusão digital e cidades digitais. Tomamos conhecimento de metodologias de avaliação de programas de governo eletrônico, alfabetização digital, educação formal e não formal em países do terceiro mundo. Chamou-me atenção a importância da avaliação, a preocupação dos pesquisadores em encontrar formas de medir os resultados alcançados ou não. Tomamos conhecimento das iniciativas de busca de indicadores de inclusão digital comuns para facilitar comparações, como acontece hoje com indicadores da sociedade da informação. O GESAC foi visto como uma iniciativa virtuosa, mas com pendências na parte de metodologias e de avaliação. A troca de experiências e a forma de trabalhar dos pesquisadores do CIS chamaram atenção, especialmente as pesquisa da Doutora Maria Garrido, http://www.cis.washington.edu/people/faculty-staff/garrido/, e do Senhor Chris Coward, Director do CIS.  Este Centro mantém um canal permanente com empresas de TICs, organizações do terceiro setor e universidades em várias partes do mundo. Chris Coward foca sua atuação no campo acadêmico e das TICs. Ao final de dois meses nos deparamos com um fato novo, a possibilidades de rever a nossa proposta do Projeto de Pesquisa inicial. Este fato ocorreu em Março de 2008, quando retornei ao Brasil e voltei a trabalhar novamente com o Orientador, Prof. Antonio Miranda.

iii) Pesquisador das publicações de organismos nacionais e internacionais (CGI, IBGE, UIT, CEPAL) que fomentam as pesquisas avaliativas e de desenvolvimento de indicadores, índices e sistemas de avaliação da sociedade da informação e inclusão digital e informacional.  Participo em grupos de estudos voltados para comparação entre países, e aplicação de recursos de fundos de desenvolvimento para regiões em estado de vulnerabilidades social.

D - Atuação profissional e Cargos:

 

a) Engenheiro de Telecomunicações e  Chefe de Seção de Operação: tive a oportunidade de planejar, projetar e instalar redes públicas de telecomunicações nos Estado de Sergipe e Distrito Federal. Foi com base nestes aspectos que desenvolvemos a pretensiosa vontade de facilitar o acesso ao telefone às populações dos estados mais distantes, até então excluídos.

Nosso primeiro contato com Métodos de Pesquisa em Ciência Sociais foi na Coordenação do Levantamento Socioeconômico para Demanda Telefônica do DF, no qual participei na  do questionário, do plano de amostragem, da coleta de dados, da análise dados e da apresentação dos resultados. A pesquisa contava com 12 (doze) estudantes das áreas de ciências humanas da UnB e cinco técnicos da TELEBRASÍLIA. A amostra compreendia a aplicação de 2.500 questionários nas residências no DF e a aplicação de 1.000 questionários nos setores do comércio, da indústria e dos serviços. O estudo foi patrocinado pela TELEBRASÍLIA e aconteceu no ano 1977. 

 

b) Consultor para Inclusão Digital no Ministério da Comunicações: Atuo há 7 (sete) anos como profissional de Ciência da Informação, mais especificamente, trabalhando em todo o processo de Inclusão Digital nos aspectos de planejamento, gestão, operação, avaliação e pesquisa no Ministério da Comunicações. Nossa atuação é junto ao Programa GESAC e junto  aos parceiros deste programa (Ministério da Educação MEC, Secretarias Estaduais de Educação, Ministérios da Defesa, Desenvolvimento Social, Cultura, Planejamento, Secretaria de Minorias, Pesca, Estatais, etc.). A nossa atuação compreende: formulação de programas, participação da Política Pública, programação de conteúdos para cursos, execução das atividades de capacitação e oficinas, fiscalização da política pública junto aos Laboratórios de Informática das Escolas Públicas e aos Telecentros. As nossas funções exercidas foram: Gerente de Projeto, Coordenação da Fiscalização em todo Brasil, Coordenação do Relacionamento com as Comunidades do GESAC, Coordenação do Apoio Tecnológico e Comunicação da Informação.

 

   


Entre com seu usuário para poder postar um comentário.

Quem está Online

Temos 34 visitantes e Um membro online

  • medeiros

Palavras-chave

Buscar