1. O caminho da serpente

"Nos documentos do Espólio, Fernando Pessoa alude muitas vezes a via hermética que através da chamada Igreja Gnóstica é  transmitida aos Templários. Esta é, para ele, a verdadeira Igreja, e a via hermética a verdadeira via. Mas já na documentação  publicada em Páginas Intimas e de Auto-Interpretação, e Sobre Portugal, existem referencias à Gnoses e aos gnósticos que importa salientar: Esta heresia (a Gnose) não desapareceu nunca. Opressa, esmagada exteriormente, essa seita tornou-se secreta, desapareceu da evidencia histórica, mas não da vida." (pg. 12).

 

"O facto, porem, é que, qualquer que seja o caminho que tomemos, não devemos fazer antes de termos percorrido os graus preparatórios, os graus de neófitos. Misticismos procurar transcender o intelecto (pela intenção), a Magia aspira transcender o intelecto pelo superior. Mas para transcender uma coisa devidamente, é preciso primeiro passar por essa coisa. A vantagem do caminho gnóstico é que menos tentação de alcançar o intelecto superior sem passar pelo inferior - uma vez que ambos são intelecto e há uma diferença de quantidade entre um e outro - do que nas vias místicas e mágicas, onde há uma diferença de qualidade, não de quantidade entre emoção e intelecto, entre vontade e o intelecto." (pg. 59).


Quem está Online

Temos 25 visitantes e Nenhum membro online

Palavras-chave

Buscar