rosa cruzA CRUZ  A  ROSA  E  A  ROSACRUZ
 
(Poema datado de 6/2/1934 de Fernando Pessoa) 
Porque choras de que existe
A terra e o que a terra tem?
Tudo nosso – mal ou bem –
É fictício e só persiste
Porque a alma aqui é ninguém.
Não chores! Tudo é o nada
Onde os astros luzes são.
Tudo é lei e confusão.
Toma este mundo por strada
E vai como os santos vão.
 
Levantado de onde lavrafernandopessoa
O inferno em que somos réus
Sob o silêncio dos céus,
Encontrarás a Palavra,
O Nome interno de Deus.
E, além da dupla unidade
Do que em dois sexos mistura
A ventura e a desventura,
O sonho e a realidade,
Serás quem já não procura.
Porque, limpo do Universo,
Em Christo nosso Senhor,
Por sua verdade e amor,
Reunirás o disperso
E a Cruz abrirá em Flor.

 


Entre com seu usuário para poder postar um comentário.

Parceiros

Bitugo Investimentos

Quem está Online

Temos 77 visitantes e Nenhum membro online

Palavras-chave

Buscar