Hermethic Liberan  n

The Ritman Library (BPH)  http://www.ritmanlibrary.com/ is the largest library in the world in the fields of Hermeticism, Alchemy, Mysticism, Rosicrucians, Gnosis & Western Esotericism and Comparative Religion studies.

http://pinterest.com/ritmanlibrary/

http://pinterest.com/ritmanlibrary/the-library-s-treasures/

Proposta de Acordo de Cooperação Holanda & Brasil

Art08fig01

       La historia del Gnosticismo desde el siglo VII hasta nuestros días nos conduce a movimientos como los Bogomilos, los Maniqueos y los Cátaros, y a individualidades únicas tales como el Maestro Eckhart y Jacob Boehme. Los Rosacruces del LRC también siguen la tradición gnóstica.

Los Gnósticos se caracterizan por su anhelo por el Reino de la Luz. Podemos encontrarlos en todos los movimientos gnósticos a través de las épocas y también en individuos que actúan como mensajeros de la realidad divina mediante una vida de servicio.


 

Palestra apresentada no LECTORIM ROSICRUCIANUM - ESCOLA INTERNACIONAL DA ROSACRUZ ÁUREA (www.rosacruzaurea.org.br).  LAGO NORTE - BRASÍLIA/DF - DIA 15 de Agosto de 2012.

 

Referências: A peça A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca, de William Shakespeare, escrita entre 1599 e 1601, é uma história atemporal. O príncipe da Dinamarca ainda está de luto pela morte de seu pai, o rei, e a sua mãe, a rainha Gertrude, casa-se com Claudius, irmão do antigo rei.


 Programa cultural - 2012 September 15-18

In Tarascon you can visit a permanent exibotion named 'La tradition du Sabarthez'. The location of this exposition is La Médiathèque.

http://bolero-projekt.info/ussat/Home.html    Cana de WEB TV.

 Besides of this there are other activities. Please look at the websites: www.tradition-sabarthez.com

www.cercle-raymond-lulle.fr and IIème COLLOQUE CONVIVENCIA

https://ussat2012.lectoriumrosicrucianum.org/node/46?%24language=pt-br


Palestra apresentada no LECTORIM ROSICRUCIANUM - ESCOLA INTERNACIONAL DA ROSACRUZ ÁUREA (www.rosacruzaurea.org.br).  LAGO NORTE - BRASÍLIA/DF - DIA 1 de Agosto de 2012.

Referências: a) O PEREGRINO - J. van Rijckenborg. "Sou peregrino, rumo ao lar de Deus" (p. 38) 

b) Pentagrama - Revista Ano 30 Número 1 =>  http://www.pentagrama.org.br/pentagramas/2008/1/

c) O Peregrino John Bunyan: http://www.oocities.org/br/adm.protect/ebooks/o_peregrino.pdf

d) Um Exemplo de Pelegrino : ANGELUS SILESIUS (1624-1676)

--------------

O Peregrino John Bunyan
               Um dos autores mais influentes do Século 17, John Bunyan (1628 - 1688) foi um fenômeno cultural singular cuja aparição na historia das idéias cristãs possui um caráter surpreendente se levarmos em conta quem Bunyan era e sua historia de vida, o contexto histórico em que vivia e o ambiente cultural e teológico ao qual pertencia. Apesar de todas estas forças adversas e contra qualquer expectativa, Bunyan produziu uma obra literária, não só de grande repercussão e influência no mundo protestante como também de reconhecido valor literário. Sua obra - prima, O Peregrino, só perde para a Bíblia em numero de exemplares vendidos e influência nos círculos cristãos mais conservadores.
            Todas as obras alegóricas de Bunyan, incluindo esta, já foram livros muitos populares nos países de língua inglesa, notadamente na Escócia e nos Estados Unidos. Os tempos mudaram, os gostos mudaram, as idéias mudaram, e os livros de Bunyan caíram no esquecimento. Vale a pena, entretanto, ler estas antigas alegorias não só pela sua beleza literária, reconhecida pelos críticos desde o movimento romântico, mas também pela natureza edificante das idéias aqui presentes. Bunyan emociona e motiva, provoca a reflexão e eleva o espírito humano é contemplação dos mistérios da fé cristã.

http://www.oocities.org/br/adm.protect/ebooks/o_peregrino.pdf

Um Exemplo de Pelegrino : ANGELUS SILESIUS (1624-1676)

 INTRODUÇÃO (*) QUEM SOU EU?

 "Em momentos de crise emocional, coação física extrema ou reflexão profunda, as pessoas costumam sentir uma incerteza fundamental em relação às suas vidas. Nesses momentos, as ideias que até então orientavam o autoconhecimento sofrem um colapso, revelando uma profundidade na existência. As auto imagens habitualmente aceitas se decompõem; o sujeito começa a questionar sua identidade. Mais precisamente, a identidade mesma se torna a questão. E a pessoa se pergunta, com sentimento profundo: 'Quem sou eu?' (p. 20).  

 QUINTA PARTE - O ANIMAL INACABADO (*)

 "Conflitos armado, angústia pessoal, culpa coletiva, indecisão moral e auto-suspeição - tudo faz parte da condição humana. Mas reconhecê-la assim não implica necessariamente uma visão pessimista do mundo:  podemos simplesmente aceitar que certas tendências humanas nos mostram o quanto ainda precisamos mudar. A evolução futura de homens e mulheres - e não uma sombria predeterminação - é o  problema a ser confrontado. Devemos-nos lembrar, tão bem quanto dos aspectos desprezíveis, insensíveis e cruéis do comportamento humano, dos incontáveis números de pessoas que alcançaram um nível de compreensão e de ser impermeável à influências negativas. Todos nós já vivemos situações em que ambos os lados de uma questão encontram-se vivamente presente ("Devo evitar machucar alguém ou deixar que isso aconteça?"). Mesmo que a opção menos prejudicial seja recusada, ao menos há a chance de entrever uma alternativa melhor, uma possibilidade mais nobre"  (p. 168).

(*) FILOSOFIA VIVA - Uma Antologia das Questões Universais da Humanidade. attar. São Paulo. 2008.

Angelus Silesius, era o pseudônimo de Johannes Scheffer, que nasceu em 1624, em Breslau, na Polônia. Nascido em uma família luterana de posses recebeu uma fomação clássica, partiu em 1643 para estudar medicina em Strasbourg, Leyde e Pádua. Doutor em filosofia e medicina, tornou-se médico do príncipe de Öls, frequentando círculos místicos e ligando-se a Abraham von Franckenberg, díscipulo de Jacob Boehme. Foi luterano fervoroso até os 29 anos. Um ano após a morte de seu mestre, Scheffler converteu-se ao catolicismo em 1653, tomando o nome de Angelus Silesius. Passou a viver em retiro e silêncio durante três anos, e publicando vários poemas. Ordenou-se padre em 1661, com 37 anos, e escreveu panfletos contra os protestantes, continuando com sua obra poética.

       Silesius foi um grande místico; procurou continuamente Deus dentro de si mesmo. Silesius foi um apaixonado por Cristo.      Foi místico cristão, filósofo, médico, poeta, jurista. Escreveu o livro "O Peregrino Querubínico", livro que reúne dísticos alexandrinos rimados. Silesius foi também um grande expoente da poesia barroca alemã.

       Herdeiro da grande tradição de Eckhart e Tauler, mas também de Boehme, Angelus Silesius lhes deu uma expressão poética ímpar, além de qualquer formulação cofessional. Deus é indefinível, ao mesmo tempo Tudo e Nada, Ser e Nada. Diante de seu Criador, o homem não é nada e no entanto nele somente, que é "à imagem de Deus", este pode se contemplar. O homem deve assim abandonar-se totalmente, esvaziar-se de si mesmo, para tornar-se aquilo que verdadeiramente é, um reflexo divino e deste modo eterno. O Peregrino Querubínico influenciou muitos filósofos alemães, sendo reconhecido como uma das formulações mais notáveis de um misticismo que supera toda e qualquer convenção.
       Angelus Silesius faleceu em 1676, na cidade de Breslau, 52 anos.

O PEREGRINO QUERUBÍNICO – Angelus Silesius

Alguns aforismos selecionados

Livro I

  1. 1.O FINO PERMANECE (Coração)

    Puro como o mais fino ouro, firme como uma rocha, completamente límpido como o cristal: assim deve ser teu coração.

 

5. NÃO SE SABE O QUE SE É

   Eu não sei o que eu sou, eu não sou o que eu sei:
   Uma coisa, e por tanto coisa nenhuma, um pequeno        ponto e um círculo.

 

6. O QUE DEUS É, NECESSÁRIO QUE ASSIM SEJAS

Para encontrar o meu derradeiro fim e meu primeiro princípio, é necessário que eu me encontre em Deus e que ele se encontre em mim,
Que eu me torne no que Ele é: a luz na luz, o Verbo no Verbo Deus em Deus.

 12. É NECESSÁRIO LANÇAR-SE ALÉM DE SI MESMO

Homem, se tu lanças teu espírito além do tempo e do espaço,
Podes a cada instante ser na eternidade.

13. O HOMEM É ETERNIDADE

Eu sou a eternidade, quando abandono o tempo.
E me reúno em Deus e Deus em mim.

 

55. A FONTE ESTÁ EM NÓS

Não deves invocar a Deus! A fonte está em ti: Se não bloqueias a saída ela flui para sempre.

 

61. CRISTO DEVE NASCER EM TI

Ainda que Cristo nascesse mil vezes em Belém, se não nascesse em ti, ficarias perdido eternamente.

 

76. NADA QUERER TORNA IGUAL A DEUS

Deus é repouso eterno: nada busca e nada quer. Se nada queres, tornas-te semelhante a ele.

 

82. O CÉU ESTÁ EM TI

Para! Aonde corres? O céu está em ti! Se procuras Deus noutro lugar, sempre mais o perdes.

 

145. O QUE QUERES ESTÁ EM TI

Em ti está o Paraíso e o tormento infernal: O que escolhes e queres, o terás em todo lugar.

 

237. A VERDADEIRA ORAÇÃO É INTERIOR

 

Homem, se queres saber o que de fato é orar, deves em ti entrar e o Espírito de Deus interrogar.

 

244.O AMOR É A PEDRA FILOSOFAL

O amor é a pedra filosofal: separa do barro o ouro, do nada faz algo e me transforma em Deus.

 

248. A UNIÃO PERFEITA

Vê como a aureidade se une estreitamente com o chumbo,

E com a essência divina quem em Deus é transformado.

 

249. A AURIEDADE E A DIVINDADE

A auriedade produz ouro a divindade produz Deus: Se a ela não estás unido, permaneces chumbo e barro.

Livro II

 3. HOMEM EM DEUS, DEUS NO HOMEM

Se sou Filho de Deus, quem isso pode ver Contempla o homem em Deus e Deus no Homem.

 

207. DEUS É A VIDA EM TI

Não és tu que vives, pois a criatura é morta! A vida que te faz viver em ti é Deus.

  1. 209.O VERDADEIRO VAZIO 

   Ser de fato vazio é como um nobre vaso que tem em si      néctar: tem e não s

Página 2 de 3

Quem está Online

Temos 50 visitantes e Nenhum membro online

Palavras-chave

Buscar