Palestra apresentada no LECTORIM ROSICRUCIANUM - ESCOLA INTERNACIONAL DA ROSACRUZ ÁUREA (www.rosacruzaurea.org.br)

 LAGO NORTE - BRASÍLIA/DF - DIA 13 de Junho  de 2012.

 Autores:  Jan van Rijckenborgh e Catharose de Petri

http://www.pentagrama.org.br/livros/gnosis-chinesa - Download completo (PDF / 12 MB)           

          A China milenar foi marcada pelo misterioso testemunho de uma sabedoria atemporal. Trata-se do eterno chamado para o reencontro com o Tao, o absoluto do homem.

            Assim como o Bhagavad-Gita e os Evangelhos, o Tao Te King, obra concisa de apenas 81 aforismos do sábio chinês Lao Tsé (Vide http://www.pentagrama.org.br/autores/lao-tse), nos transmite um ensinamento universal que é objeto de interesse de inúmeras pessoas no mundo todo, fato este comprovado por ser ele o livro mais lido depois da Bíblia, com inúmeras edições em várias línguas.

            Segundo a tradição, o Tao é transmitido àquele “que está na fronteira”, preparado para escutar a revelação do caminho de retorno ao homem perfeito original, o homem-microcosmo.

            Jan van Rijckenborgh e Catharose de Petri reconheceram na Bíblia do taoísmo o ensinamento gnóstico universal. Em A Gnosis Chinesa, os autores desvelam a linguagem com que Lao Tsé revestiu seu ensinamento. São comentários abrangentes e extremamente atuais que auxiliam quem busca o caminho da realização espiritual e mostram a perfeita viabilidade desse caminho para o homem moderno.

            Tomemos como exemplo este versículo do capítulo 33 do Tao Te King: "Quem vence outros homens é forte, mas quem vence a si mesmo é onipotente". Sobre este versículo, os autores dizem: "Tornar-se onipotente significa penetrar a essência fundamental da Divindade e dela fazer parte." Em poucas palavras, isso resume a inteira e magnífica missão que está na base da existência humana.

 Tao te King – capitulo 1

Se Tao pudesse ser definido, ele não seria o Tao eterno. O nome

Que pode ser expresso não é o nome eterno.

 

Com relação ao não ser, podemos dizer que ele é o fundamental

da manifestação universal. Enquanto que ser, ele é a mãe de todas as coisas.

 

Portanto, se o coração persiste em “não ser”- quer dizer estar

Isento de todos os desejos e interesses terrestres – é possível

Contemplar o mistério da essência espiritual de Tao. Se o

Coração persiste em “ser” – quer dizer quem da mesma está pleno de desejos e

Interesses terrestres – somente lhe é possível ver as formas

Limitadas, demarcadas.

 

Os dois, ser e o não se, vertem da mesma fonte, mas têm

Efeitos e objetivos diferentes.

 Todos dois são um mistério, e esse mistério é a porta da vida.

 

Comentários: