JOR0109 - TÓPICOS ESPECIAIS EM COMUNICAÇÃO 2 - T10 (ABERTA) Ontologia para Internet - OntoWeb-  Código da Disciplina:      - 1 2021 Segunda e Quarta-feira, das 10:00 às 12 horas.

VOLTAR PARA O INÍCIO DO CURSO/Disciplina:  

PLANO DE ENSINO DA DISCIPINA TEC2 ONTOLOGIAS NA INTERNET – 1 2021 (Versão do 14\07\21)

  

1 – METODOLOGIA E PROCEDIMENTOS DE ENSINO: 

A Metodologia:  Ela visa a transmissão do saber, e a preparação de mão-de-obra para o mercado de Jornalismos e Comunicação Social e outras atividades profissionais, portanto, ela deve ser acompanhada de uma reflexão sobre o valor, e o uso prático de conhecimentos da Tecnologia Informação – TI a ser transmitidos entre pessoas, sobre sua aceitação e transformação pelo tempo, e a influência que esse saber exerce na organização social, cultural e política.

Adota-se o conceito de Sala de A apresentação do trabalho será voltado para a iniciação à pesquisa, em forma de produção, inicialmente, como esboço (mapas mentais e conceituais), figuras e digramas a serem incorporados no trabalho escrito.

Aula Invertida quando for possível (Vide tutorial em anexo) 

A Metodologia busca: a) Conhecimento dos propósitos e do conteúdo da disciplina; b) Escolha de questões atuais do profissional de Comunicação Social; c) Desenvolvimento de trabalhos e de estudo e pesquisa, em equipe de estudantes, com base no método científico; d) Conhecimento de metodologia de trabalho colaborativos, com apoio em TIC, tais com como equipes on-line, blog, rede social e sites; e) Comunicação e discussão oral dos resultados encontrados das aplicações das TIC em Comunicação pelos estudantes; f) Elaboração de Ontologia/Artefatos e textos explicativo do produto mais aprofundados,  previamente,  definido pela Equipe de Estudantes. Vide: https://medium.com/s/story/how-to-teach-journalism-in-2019-aa33773dfcd9 

 

2  - AMBIENTE DE TRABALHO COLABORATIVO 

A construção do Ambiente de Aprendizagem que segue aplicação do Modelo 4C de Colaboração (Comunicação, Cooperação, Coordenação e Conexão) e objetiva a   relação entre os atores, prioritariamente, de todos para todos.         

Em sala de aula, busca-se a máxima divulgação dos conteúdos programáticos e a promoção de prática em laboratório. A definição das ferramentas ou produtos softwares na disciplina devem ser de consenso de todos. O importante é que seja factível em todos os lugares, e a qualquer tempo ter acesso às informações e ao conhecimento. Os ambientes de ensino e aprendizado colaborativo da disciplina são divididos em quatro dimensões (Modelo 4C), cujas ferramentas ou softwares são definidas comparticipação de todos:

a) O Joomla (CMS): Esta é a ferramenta utilizada para COORDENAÇÃO da Disciplina, serve como uma Lousa Digital para apresentar-se os conteúdos, de cada aula, e os estudantes podem fazer o acompanhamento das atividades em sala de aula e fora, vide link no final;

b) O Slack: Este é a plataforma de COMUNICAÇÃO para o apoio das atividades de ensino e pesquisa. Os professores orientam os estudantes de como é feito o encaminhamento das listas de exercícios, e a divulgação resultados de achados na ferramenta;

c) Linguagem Python:  É o um ambiente de COOPERAÇÃO para a aprendizagem do Linguagem Python. Utiliza-se diversos softwares, por exemplo, o URI (https://www.urionlinejudge.com.br/judge/en/login), local para desenvolvimento das primeiras Listas de Exercícios, podemos usar REPL.IT: https://repl.it/teacher. Existem outros ambientes de ensino e desenvolvimento como o PyCharm CE. Outros ambientes poderão ser utilizados como suporte: GitHub (publicação dos artefatos). 

d) O Potègè: Este é o ambiente de COOPERAÇÃO para a Aprendizagem de ontologias. Ele é a principal ferramenta da Disciplina/Curso. Veja mais em:  http://www.filosofiacienciaarte.org/index.php/pesquisador-visitante/957-laboratorio-potege

e) O ambiente de Conexão entre os participantes é feito pelo Mensageiro Instantâneo: WhatsApp: Os estudantes usaram seus "notebooks" no Laboratório  de Multimídia e em casa, para suporte às aulas práticas de programação.

Obs.: Os e-mails enviados aos professores para comunicação relativa a esta disciplina necessitam conter o número de matrícula do aluno e o nome da disciplina no cabeçalho da mensagem. Anexos não fazem parte nem do cabeçalho nem do corpo da mensagem. E devem ser explicito no corpo da mensagem. Os professores não se comprometem com correspondência eletrônica que descumpra esta exigência. Todos estes recursos e softwares serão instrumentos valiosos para atingir os objetivos da disciplina.

 

3 - ETAPAS DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

3A – FUNDAMENTAÇÃO DE WEB SEMÂNTICA

Esta Etapa compreende aulas expositivas, diálogo com os estudantes e a busca e leitura de textos em fonte confiáveis, e pesquisa na Internet de exemplos de ontologias. Deve-se manter uma discussão crítica e avaliativa nas aulas expositivas, e as orientações para a elaboração de listas exercícios individuais, e em grupo.

Além dos professores da FAC, poderemos contar com a participação de CONVIDADOS, especialistas da UnB e externo, procura-se apresentar conteúdos inovadores para fundamentação da Disciplina, tudo isto visando as etapas seguintes, como a elaboração de apresentações dos artefatos, como uma Aplicação em Jornalismo e Comunicação Social.

Considera-se essencial elaboração de Listas de Exercícios (entrega individual) para a fixação dos conteúdos pelos estudantes, sob a supervisão dos docentes.

 

3B - AMBIENTES DE ENSINO E APRENDIZAGEM 

Definido o Método de Pesquisa para Avanço da Ciência e Tecnologia. O Métodos de Pesquisa Adotado é m DESIGN SCIENCE RESEARCH – DSR. Vide os links:

a)    http://www.filosofiacienciaarte.org/index.php/ciencia/leitura-recomendada/1012-design-science-research-metodo-de-pesquisa-para-avanco-da-ciencia-e-tecnologia;

 

b)    Tutorial: http://www.filosofiacienciaarte.org/attachments/article/748/Design-Science-Research-Aline-Dresch.pdf.

Procedimentos: Cada Equipe Trabalho, de no máximo 3(três) estudantes, deverá escolher um tema (ONTOLOGIA/ARTEFATO) relacionado ao proposto pelos professores da Disciplina, que será objeto de desenvolvimento e aprofundamento. Para escolher o tema, a Equipe de Trabalho deve guiar-se pelos seus interesses, curiosidades e/ou inquietudes relacionados ao uso das TIC na Comunicação Social.

Ao considerar a escolha dos possíveis ONTOLOGIA/ARTEFATOS, espera-se que todos os estudantes de uma equipe participem da definição do tema, e devem contar com a programação de temas sugeridos pela Disciplina.  Deve evitar-se que a escolha de uma ONTOLOGIA/ARTEFATO seja feita por um dos componentes da equipe, assim, evita-se o menor comprometimento de alguns componentes, certamente, isto irá influenciar nas demais etapas do artefato.

Os Temas proposto pelos professores podem ser consultados na proposta de cada semestre (site na URL: www.filosofiacienciaarte.org). Ao ler uma proposta, lembre-se de que as palavras ali usadas podem ter mudado um pouco de seu significado, e que os conceitos podem ter adquirido novas expressões, ao longo do tempo decorrido entre, a elaboração da proposta até o momento.

A apresentação do trabalho será voltada para a iniciação à pesquisa, em forma de produção, inicialmente, como esboço (mapas mentais e conceituais), figuras e digramas a serem incorporados no trabalho escrito.

O objetivo desta metodologia de Pesquisa por Projetos, com o uso da linguagem é permitir que as pessoas com interesse por um assunto possam fazer abordagens ou questionamentos, de forma acelerar o atingimento dos objetivos da proposta, ou   que possam ser ajustadas com contribuições dos docentes.

 

3C - DESENVOLVIMENTO DAS ONTOLOGIAS DE FORMA COLABORATIVA E ARTEFATOS

Escolhido o tema, a Equipe de Trabalho de Estudantes deve seguir a metodologia recomendada, e identificar uma bibliografia mínima para seu artefato, dialogar com os professores e divulgar suas preferências baseada em textos disponíveis na Internet e na Biblioteca Central, sejam revistas científicas ou livros atuais, cuja leitura irá substanciar a apresentação o texto final.

Apresentação e discussão de cada tema com a participação de toda a Equipe será de duas equipes por dia/aula. Os demais detalhes dos produtos serão discutidos, previamente, em aula com participação de todos os presentes.

Dentre as possíveis dificuldades e as incertezas que sugerimos evitar, podemos citar: evitar ficar em um escopo muito amplo, ou muito técnico, ou muito específico; manter uma relação por demais vaga entre a narrativa e o material encontrado na pesquisa bibliográfica; e ter pouca familiaridade com o tema.

Proposta do Projeto da Ontologia/Artefato. O texto a ser produzido deverá conter, como   primeira versão do trabalho escrito da equipe, no mínimo, 8 (oito) páginas de conteúdo (incluindo as páginas de capa, sumário, textos, algoritmos, figuras, programa e bibliografia). Os casos especiais serão tratados pelos professores.

 

3D - APRESENTAÇÃO FINAL DA ONTOLOGA/ARTEFATO  

Alertas sobre autorias para produtos e produção de textos (com base na proposta da disciplina Informática e Sociedade para o Departamento de Ciência da Computação – UnB do Prof. Pedro A. D. Rezende):

  1. Autoria de obra intelectual é direito moral inalienável pela Lei brasileira. Por isso, alienar autoria de trabalho acadêmico (comprar trabalho) envolve ato de falsidade ideológica. Plágio e falsidade ideológica são crimes.
  2. Entenda os efeitos coletivos. Plagiar ou alienar autoria de trabalho acadêmico é como jogar lixo na rua ou na Internet Esperteza para apressados, de consequências ruins para todos. Enchentes entopem bueiros inundando a área. A fraude acadêmica contamina a qualidade do diploma na medida em que diplomados se revelam, no mercado de trabalho, ineptos a se expressarem por escrito, coisa esperada de quem se forma nesta universidade.
  3. Entenda os riscos envolvidos. Mesmo para quem é honesto, o ambiente acadêmico na UnB está contaminado. De um lado, pela tentação (de comprar trabalho), do outro, pela desconfiança (sobre autoria), em parte devido às próprias facilidades tecnológicas. Lembre-se que, assim como os músculos na ginástica, não haverá ganho para o intelecto sem o correspondente esforço.
  4. Entenda o que está em jogo. Ensino público na UnB ainda é gratuito e pode ser sadio. Trabalhos comprovadamente plagiados ou alienados terão nota zero na monografia e na participação. Trabalhos cujos indícios de fraude evadirem admissibilidade de prova deixarão rastro de dúvida desabonadora. Na reputação do aluno e para a imagem da instituição onde estuda.

As atividades de leitura também irão substanciar a escrita dos textos finais das equipes, que se destinam à construção de um acervo dos trabalhos dos estudantes. As orientações da produção dos textos estão disponíveis também na LOUSA DIGITAL (site em Joomla) da disciplina.

 

3E - PRODUÇÃO DE TEXTOS E PRODUTOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS.

As atividades dos estudantes nesta disciplina, que incluem pesquisa, apresentação, exemplos de programas de computadores, lista de exercícios e debate, e complementado com um artefato como trabalho final, serão complementadas com o diálogo com os professores, e a participação em aulas e construção de conteúdos em forma de textos.

Os professores devem complementar as exigências de como deve ser feito e entregue o trabalho escrito (texto final), se for necessário. Vide item seguinte.

 

3F - MONOGRAFIA DE REVISÃO (ONTOLOGIA/ARTEFATO)

A particular MONOGRAFIA, em sua modalidade “monografia de revisão”, cujo objetivo é determinar o "estado da arte". Que segundo Ada Brasileiro (2012), a revisão procura mostrar através da literatura já publicada o que já se sabe sobre o tema, quais as lacunas e os principais entraves teóricos ou metodológicos.

O texto deve conter uma narrativa integral sobre o tema escolhido, e não parcial (a pretexto de que haverá uma segunda versão ou definitiva).

A estrutura do texto deve conter: Identificação da turma, semestre e autores (matrícula e nome dos estudantes); Seções do texto, incluindo introdução, objetivos do texto, metodologia para elaborar o texto, resultados ou conclusões e comentários finais. Apresentar a Bibliografia utilizada (independentemente de ser ou não está a mesma apresentada na proposta da apresentação do Produto).

A formatação do texto deve ser um arquivo em formato digital aberto ou proprietário. Exemplos de formato aberto ou não proprietário: rtf, html, pdf, ou odt. (desses, pelo menos um estará disponível em praticamente qualquer editor de texto). A definição de um ou dois padrões do formato fará parte de um debate em sala de aula com todos os presentes nas primeiras quartas-feiras.

Entrega em atraso será aceita mediante redução na nota máxima, proporcional ao tempo de atraso.

 

4 - AVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES E DA DISCIPLINA  

 

A Avaliação da Disciplina deverá considerar aspectos cognitivos, atitudinais e interpessoal, como: iniciativa e autonomia; comunicação verbal e escrita; relacionamento e gestão do estudante na sua equipe; responsabilidade; capacidade aprendizagem e de pesquisa; organização e planejamento do produto (Artefato); análise crítica; produção e organização do texto; e criatividade.  A Avaliação inclui a participação em aulas, projetos e apresentação do Artefato. E todas estas atividades serão aspectos avaliados, distribuídas nas três fases:

METODOLOGIA. As principais atividades são aulas expositivas, trabalho em grupo; listas de exercícios; discussões e seminários. O desdobramento será em:

·       Atividades de Aprendizado em Classe: Para os temas em discussão na disciplina, serão indicados textos que o aluno deve ler e aos quais estarão associados atividades de aprendizado (AAC). As atividades de aprendizado podem envolver a preparação de material para debate em aula, seminários, questionários e listas de exercícios. Participação nas aulas expositivas, listas exercícios individuais e em grupo, palestras de especialistas e fórum dos estudantes 50%.

·       Trabalho Final/Prático: Constará do desenvolvimento de uma ontologia em equipe (2/3 pessoas). A avaliação das atividades dos estudantes dentro e fora da sua Equipe, que incluem a pesquisa de um tema, participação individual em um Artefato, a elaboração do trabalho escrito. Elaboração e apresentação dos produtos da Equipe de Estudantes 20%. Construção de um Artefato: um texto no formato de Monografia de Revisão, que é o aprofundamento de um tópico do produto 30%.

Com a elaboração final da Ontologia/Artefato (Produto) das equipes de estudantes, inicia a terceira etapa da disciplina. Durante o desenvolvimento dos produtos ocorrerão as verificações para efeito de avaliação com base nos seguintes critérios:

a) presença antecipada de no máximo 15 minutos de cada participante da equipe para responder à chamada e colocar todos os recursos auxiliares;

b) cumprimento do respectivo prazo de tempo da apresentação, estabelecido previamente, duas equipes por aula;

c) atitude do estudante em relação à exposição oral:

i) Na avaliação da proposta do produto, de ter pesquisado sobre o tema escolhido, proposta de um título, e bibliografia inicial para seu trabalho;

ii) Na avaliação do Artefato (produto) da equipe, que deve ser publicado os a primeira versão dos conteúdos apresentados nos meios virtuais definidos em conjunto com os estudantes conforme os critérios exigidos ou recomendados pelo professor.

A partir do final dos produtos dos estudantes, quando começa a terceira etapa, serão analisados e debatidos, de forma construtiva, a primeira versão dos textos entregues, visando a elaboração da versão final.

A Equipe Trabalho de Estudantes, que entregaram a Proposta do Projeto do Artefato da sua Equipe, serão chamados para uma discussão com os professores, na oportunidade ele fará um depoimento destacando o que lhe chamou a atenção no trabalho, sugerindo o que deve ser acrescentado, aperfeiçoado ou expandido, como ajuste para a segunda e última versão. O Estudante representante da Equipe poderá fazer considerações, e os professores poderão franquear a palavra a outros que queiram oferecer comentários pertinentes. Como resultado destas discussões, a equipe deve fazer um resumo dos ajustes sugeridos para a segunda versão.

Depois de cada discussão, será lançada a avaliação da primeira versão do texto na Matriz de Avaliação no Google Drive, para aqueles que foram chamados a esta avaliação, e a partir deste momento as demais equipes farão as suas avaliações de cada texto. Alunos que estiverem ausentes quando chamados para essa avaliação terão esses dados lançados sem avaliação posterior, a menos que haja tempo, ao final da programação da disciplina, e com prejuízo na nota dessa avaliação.

Requisito: Frequência mínima de 75% nas aulas semanais.

A menção será calculada por média ponderada das notas da Matriz de Avaliação e poderá ser ajustada por conceito de participação no máximo em 1,0 ponto.

RESULTADO FINAL DA AVALIAÇÃO: Atividades de aprendizado em classe (AAC). E trabalho prático (TFP). Média = 0,5*AAC + 0,5*TFP

 

5 - CRONOGRAMA DE ATIVIDADES (Atualizado em 14/07/2021)

Fazem parte neste cronograma básico as principais atividades da DISCIPLINA, tais como datas e programação das aulas, atores, critérios e prazos.  Além disso, o presente cronograma poderá ser modificado ou ajustado em consequências recomendações superiores ou por meio de novos acordos entre o professor e os estudantes. Assim a realização dos trabalhos seguirá o seguinte cronograma:

 

A picture containing text, electronics, display

Description automatically generated

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Livros Textos:

ANTONIOU, Grigoris; VAN HARMELEN, Frank. A semantic web primer. MIT press, 2012.

 

BREITMAN, Karin. Web Semântica - A Internet do Futuro. LTC, São Paulo, 2005.

ISOTANI, Seiji; BITTENCOURT, Ig Ibert. Dados Abertos Conectados: Em busca da Web do Conhecimento. Novatec Editora, 2015.

 

Outros livros:

FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. Ubu Editora LTDA-ME, 2018. Vide:  http://www.filosofiacienciaarte.org/index.php/arte-e-cultura/cultura-digital/637-o-mundo-codificado-por-uma-filosofia-do-design-e-da-comunicacao

 

MUELLER, John Paul. Começando a Programar em Python para Leigos. Rio de Janeiro: Alta Books, 2016. 379 p. (For Dummies).

 

DRESCH, Aline; LACERDA, Daniel Pacheco; ANTUNES, José Antônio Valle. Design science research. In: Design science research. Springer, Cham, 2015. p. 67-102.

 

SANTAELLA, Lucia; PRIMO, Alex. Interações em rede. 1ª Edição. Editora Sulina, 2013.

 

SANTOS, MÁRCIO. Comunicação Digital e Jornalismo de Inserção. São Luis: Labcom Digital, 2016.

 

Textos Suplementares:

Download this file (BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf)BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf

[ ]

4182 kB

Update this file (BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf)Delete this file (BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf)

Download this file (Design-Science-Research-Aline-Dresch.pdf)DESIGN SCIENCE RESEARCH -MÉTODO DE PESQUISA PARA AVANÇO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

     

 

LINKS:

http://www.filosofiacienciaarte.org/index.php/curso-programacao-python

 

 

 

Brasília\DF, 14 de julho de 2021.

 

 

Prof. Benedito Medeiros Neto

Attachments:
Download this file (BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf)BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf [ ] 4182 kB Update this file (BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf)Delete this file (BMN-AULA INVERTIDA Programação -23AGOSTO17-4.pdf)
Download this file (Design-Science-Research-Aline-Dresch.pdf)DESIGN SCIENCE RESEARCH -MÉTODO DE PESQUISA PARA AVANÇO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Quem está Online

Temos 65 visitantes e Nenhum membro online

Palavras-chave

Buscar