A tese desenvolveu
-
se tendo
como problema
de pesquisa a questão se
as
tecnologias de
informação (TICs)
conferem algum tipo de empoderamento às mulheres rurais
. Para respondê
-
la
teve
-
se como objetivo principal
analisar a apropriação das TICs na agricultura familia
r de Santa
Maria, RS,
a partir das relações de gênero.
P
or entender
-
se que informação a respeito das mulheres
é também informação a respeito dos homens (SCOTT, 1995), a pesquisa envolveu mulheres rurais,
agricultores familiares e filhos e filhas jovens, te
ndo a temática da geração como um objeto
específico. Para a coleta e análise dos dados a pesquisa utilizou a metodologia
Q
que tem como
características a produção de dados quali
-
quantitativos, ademais de evitar respostas condicionadas e
também minimizar a
interferência do pesquisador nos dados coletados. Para a realização da coleta
de dados foram cumpridas seis etapas: realização de três grupos de discussão com agricultores
familiares, mulheres rurais e jovens rurais; entrevistas com seis informantes qualif
icados ligados à
temática da agricultura familiar; elaboração de 32 assertivas a partir da transcrição e análise das
entrevistas com os informantes qualificados; classificação das assertivas por dez famílias de
agricultores familiares; obtenção de fatores
a partir de
software
específico e análise dos resultados.
Os fatores são grupos de pessoas que tem padrões de respostas em comum
(
HEGEDUS,
2005
). Na
pesquisa, que contemplou ao todo, dez agricultores, dez mulheres rurais e quinze jovens rurais
(sendo dez m
eninas e cinco meninos), foram feitas cinco análises fatoriais que buscaram identificar
supostas diferenças de gênero e geração nos vínculos estabelecidos por meio das TICs.
Para
compreender como os vínculos afetivos e produtivos são estabelecidos, partimo
s da abordagem de
vinculação social de Muniz Sodré (2002).
A tese foi estruturada em três capítulos. O Capítulo 1
Aspectos Metodológicos da Pesquisa
descreve o percurso metodológico; o Capítulo 2
Gênero e
Geração
aborda os estudos de gênero e geração no meio rural e também traz os resultados das
primeiras três fases da pesquisa e o Capítulo 3
Tecnologias de Informação e Comunicação
e
Vínculos
contextualiza o avanço das TICs no Brasil, descreve as famílias que part
iciparam da
classificação das assertivas e também apresenta e analisa os fatores obtidos por essa classificação.
Os fatores foram sintetizados com as denominações de
Novos Vínculos, Vínculos em Questão,
Vínculos Corretos, Vínculos em
Conflito e Vínculos Ed
ucativos. A análise dos fatores verificou que as
mulheres rurais estão assumindo um novo papel dentro das propriedades rurais familiares e também
no núcleo familiar, rejeitando o papel legitimado de subordinação (BO
U
RDIEU, 2002). Esse
empoderamento é impul
sionado pelo maior acesso à informação por meio das TICs, especialmente o
telefone celular. Especificamente no caso das jovens rurais, que na maioria das famílias visitadas
possuem acesso à TICs como computador e conexão com a Internet, os parâmetros de
em
poderamento como autoconfiança e habilidade de tomar decisões (CORDEIRO, 2010) são ainda
mais evidentes.