Telecentros deveriam ser locais de acesso gratuito à internet

Marcelo Calfat Repórter

Um mês depois da reportagem do CORREIO de Uberlândia ter denunciado que somente três, dos 28 telecentros instalados em Uberlândia, funcionavam conforme o previsto, a situação continua igual.


De todas as unidades, em duas não foi possível contato com o responsável, três funcionam normalmente, 11 não estão em funcionamento e o kit telecentro foi devolvido para a prefeitura, uma não funciona e vai devolver o kit, seis estão em operação somente para o público interno, duas não funcionam por falta de professores voluntários, uma não informou a situação atual, uma está em reforma e uma passa por reformulação.

Todos os kits já devolvidos estão orçados em R$ 192,5 mil. Os equipamentos estão guardados em um depósito da prefeitura.

No mês passado, a assessoria de imprensa do Ministério das Comunicações, responsável pelo projeto dos telecentros, informou que iria verificar a situação e analisar a condição de cada unidade de Uberlândia. Ontem, por meio de nota, a assessoria informou que depois da reportagem foi instaurado um processo de fiscalização dos telecentros. As unidades que funcionam serão visitadas a partir do mês que vem, com o objetivo de apoiar as entidades parceiras e resolver possíveis problemas que estejam impedindo o funcionamento adequado dos telecentros.

A coordenadora administrativa de recursos tecnológicos da secretaria de Educação da prefeitura de Uberlândia, Maria de Fátima Silva, disse que não sabia que alguns telecentros não estavam funcionando conforme o proposto pelo Ministério das Comunicações. “Isso, para nós, é novidade. Onze unidades nos devolveram os kits e uma já entrou em contato informando que vai devolver. Fazemos uma fiscalização constante e a partir de segunda-feira irei visitar cada unidade para analisar o funcionamento”, disse. Segundo ela, as instituições que não estiverem em conformidade vão perder o benefício. “Se não estiver funcionando como o previsto, vamos recolher o kit telecentro”, afirmou.

Unidades devem ser abertas à comunidade

De acordo com o Ministério das Comunicações, os telecentros devem ser espaços públicos destinados para que a comunidade tenha acesso gratuito à internet e cursos de informática por meio de entidades públicas e privadas sem fins lucrativos. Dos 28 telecentros da cidade, 15 foram destinados a entidades não governamentais, 10 para escolas estaduais, um ao Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), um à Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e um à Prefeitura de Uberlândia.

Telecentros em Uberlândia
Denúncias
Secretaria de Inclusão Digital
(61) 3311-6005
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.">Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

TELECENTROS UBERLÂNDIA


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Quem está Online

Temos 14 visitantes e Nenhum membro online

Palavras-chave

Your browser doesn't support this tag cloud

Buscar