O governo estuda formas de impulsionar a inclusão digital nas escolas e centros de pesquisa e de garantir Internet de alta performance nos hospitais universitários. Os ministros da Educação, Aloizio Mercadante, e das Comunicações, Paulo Bernardo, reuniram-se nesta quarta, 8, e devem ter as metas definidas até o fim do mês.

"O governo quer fazer uma revolução na área da educação e, para isso, ter comunicação, ter tecnologia da comunicação, é absolutamente imprescindível", disse Paulo Bernardo. O ministro explicou que, no caso das escolas, a velocidade da Internet deve variar de acordo com o porte da instituição. "Em uma escola com 500 alunos, pode ser que precise de 40 Mbps; uma com 2 mil alunos pode precisar de 150 Mbps", disse ele.

O plano de garantir Internet de alta performance nos hospitais universitários, para permitir cirurgias por telemedicina, foi destacado na reunião. "Nos hospitais universitários nos disseram que precisam de alta performance, como 5 Gbps para fazer transmissão com imagem de altíssima definição, e, além disso, tem que ter duas redes pelo menos, porque não pode cair", explicou.

Com informações da Agência Brasil.