O CIDADÃO CONTEMPORÂNEO FRENTE   ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ATENÇÃO! Se você deseja uma cópia do e-book do livro,  favor solicitar VIA o e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

 Veja a   INTRODUÇÃO-APRESENTAÇÃO do Livro

Veja a PARTE I

DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS COM AS TIC NO BRASIL 

O LIVRO aborda fenômenos de mudanças de comportamentos dos cidadãos frente às Tecnologias da Informação e Comunicação – TIC, vivendo na Sociedade da Informação em Rede, e as perspectivas futuras, a Sociedade de Serviços, quando as TIC, em especial os dispositivos móveis como o celular, chegam às mãos de mais pessoas com carência de recursos materiais e cognitivos, seja pela falta de acesso a informações de utilidade pública, habilidade de uso das tecnologias ou analfabetismo funcional presente no Brasil contemporâneo.

 

 

O acesso e uso da informação interativa em redes sociais, e o número de ambientes virtuais de aprendizagem colaborativa são  crescentes, e a perspectiva é que ambos possam promover melhores condições de vida e bem-estar de comunidades. Assim, realizaram-se-se diagnósticos pela observação do cidadão, no seu acesso, uso e apropriação das TIC, na busca e difusão da informação, no uso de TIC para alterar conteúdos existentes na Internet, produzidos para si ou para sua comunidade. A intervenção da pesquisa para o suporte à presente obra tinha como foco o uso de dispositivos móveis para otimização da difusão da informação nos ambientes virtuais de aprendizagem em comunidades de vulnerabilidade social. As mudanças de comportamentos possíveis são reflexo da permanente adaptação a novos processos, ao uso de novas tecnologias, sobretudo, a novas maneiras de viver em comunidade e em sociedade. Nos desdobramentos da sociedade contemporânea espera-se que estas mudanças favoreçam à busca da conquista da cidadania, algo já observado com indivíduos que portam dispositivos de comunicação móvel inteligentes.  


Comentários   

+1 #12 Benedito Medeiros Neto 22-04-2018 12:11
Dear friend Benedito: I have just finish the read of your book TIC !!! My opinion is that it really is a very well written book, because i' is true that the frontier of humanity is CONSCIOUSNESS. The most important thing for humanity must be her CONSCIOUSNESS !!!!!! And if technology can help, it's wonder. The work of HUMAN beings is to be aware and to become aware of what they do, say and feel.

The newtopics of education can help a lot to achieve the union of technology and human consciousness.

God first, this must be faster and faster in achieving it. Friend Benedito, I congratulate you with all my heart. Regards; LOLY
0 #11 Benedito Medeiros Neto 09-04-2018 19:14
Jesus Lau
Apr 7 (2 days ago)

to GALLARDO, Frankcis, me
Prezado Benedito,

Terei todo o prazer em rever o livro nos próximos dias. Vou compartilhar uma cópia com minha aluna de doutorado, Maryna Gallardo, que está estudando esse assunto colateralmente.

Muito obrigado por compartilhar uma cópia.

Parabéns por essa disciplina de redação.

Calorosas saudações,

Jesus Lau
0 #10 Benedito Medeiros Neto 25-03-2018 15:05
Fica difícil perceber o que está acontecendo quando se está no centro do furacão. A humanidade passa por um momento de inflexão, quando todo o estabelecido muda, o momento mais revolucionário da história, a Revolução Digital, a virada para a Sociedade da Informação. O livro “O cidadão contemporâneo frente às tecnologias da informação e comunicação”, do professor Benedito Medeiros Neto, nos tira do centro do furacão e nos eleva a local de visão privilegiada do que ocorre, com o grande mérito de amalgamar as informações e análises sobre a tecnologia com a comunicação e humanidades em geral. Leitura obrigatória para quem quer ter uma visão ampla do nosso tempo e vislumbrar o futuro.

Zanei Ramos Barcellos
0 #9 Benedito Medeiros Neto 04-03-2018 05:46
)

Nome: I Workshop Introdução à Engenharia de Ontologias e Web Semântica
Objetivo: Sensibilização para a utilidade na administração pública e geração de massa crítica de pessoas interessadas em engenharia de ontologias
Data e hora: 13/07/2011 8:30 às 18:00
Local: Auditório da ENAP - Brasília, DF
Participantes: Pilade Baiocchi Neto (MCT), Marcos Fernandes Albuquerque Lima e Benedito Medeiros Neto (MC)
0 #8 Benedito Medeiros Neto 04-03-2018 05:46
Hello my friend! I want to say that this article is awesome, nice written and include almost all vital infos. I would like to peer more posts like this .
------------------------------------------
http://megasto.com.ua

f7rpf9Sg6L
+1 #7 Benedito Medeiros Neto 21-02-2018 10:44
http://www.antoniomiranda.com.br

O CIDADÃO CONTEMPORÂNEO FRENTE ÀS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Veja a INTRODUÇÃO-APRESENTAÇÃO do Livro. Veja a PARTE I

DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS COM AS TIC NO BRASIL
0 #6 Benedito Medeiros Neto 21-02-2018 10:42
http://slideplayer.com.br/slide/11832212/
0 #5 Benedito Medeiros Neto 21-02-2018 10:36
http://www.domingocompoesia.com.br/2017/12/o-cidadao-contemporaneo-frente-as.html

Projeto coletivo e democrático de literatura. Espaço destinado à divulgação de poesias, contos, crônicas, artigos, entrevistas, resenhas, eventos literários e comentários sobre livros publicados.
0 #4 Bene Gomes 12-02-2018 08:49
As ideologias praticadas no mundo em forma de governos não foram capazes de resolver o problema da pobreza, da desigualdade, do acesso universal aos bens de consumo!
As revoluções fracassaram nesse sentido, as guerras, muito mais!
As religiões que prometem soluções milagrosas para os problemas das pessoas transformaram-se em rentáveis e ineficazes negócios, como solução!
Pergunto:
Será que a tecnologia trará um meio mais eficaz de progresso para os pobres do mundo?
Ou será um mero negócio, com todas as mazelas próprias do mundo dos negócios?
E nas mãos de quem ficará o controle desse negócio?
Haverá um programa mundial do tipo "informática para todos", para universalizar o acesso a esses bens?
E ainda resta a questão: digamos que a humanidade toda se beneficiou desses recursos e vive bem. E DAÍ?
-1 #3 Benedito Medeiros Neto 18-01-2018 15:03
Caro amigo Medeiros. Boa noite!
Agradeço a distinção do compartilhamento do ensaio "Uma Escola Pra Valer... em tempos de Google!"
Li com prazer o que se revelou uma convergência lato sensu com que penso sobre o assunto enfocado, já há cerca de duas décadas.
Apreciei sobremaneira a leveza da comunicação, não complicada, objetiva e clara, e o pós modernismo do uso das citações colocando quem as proferiu como coautores do ensaio, no atual sentido que se dá à bricolagem.
Há cerca de 20 anos, em uma palestra na universidade, fui elogiado pelo fato de exercer com proficiência o sacerdócio da medicina. Retorqui agradecendo o elogio, mas declarei de maneira enfática que medicina não é sacerdócio sim vocação para técnicos em saúde humana, e que mesmo nas religiões o mesmo acontecia com técnicos em rituais e correia de de transmissão entre os textos sagrados e a ignorância dos devotos. Perguntado o seria um sacerdote, respondi incontinente, "O Professor".
Continuei explicitando que afastadas as pompas e circunstâncias e a arrogância dos narcisistas que fazem uso do ensino para apresentar seus egos, e os displicentes e desinteressados que fazem do magistério um emprego descompromissado, resta a enorme massa de verdadeiros sacerdotes.
São um grande exemplo desse mister, professores de nossos longínquos municípios remunerados á razão de 20 reais mensais,que mesmo falando e escrevendo de maneira não muito correta, são capazes de alfabetizar dezenas de crianças.
Finalmente gostaria de contribuir em relação ao enfoque do texto, com a criação de uma tosca metáfora que me ocorreu durante a escrita deste email:
Imagino que professores da minha geração estão aterrissando com seus aviões com maior ou menor carga de conhecimentos obsoletos, mas que o maior problema é o de não poder ensinar os jovens a decolar com os deles, pois nos escapa a competência técnica com os modernos instrumentos de seus aviões, e ainda estão por se formar novos instrutores.
Por isso, não seria de bom alvitre, abandonar a frustrada pretensão de usar as técnicas de decolar obsoletas de nossos aviões velhos e nos dedicar, ao que valha a pena para preencher este hiato entre nós e eles? Sim! Ensiná-los a sentir, despertar emoções, falar da beleza de voar, das rotas do céu, do poder das tempestades, do louvor do por do Sol visto acima das nuvens.Incitar em cada um o anseio de "Frei Capelo Gaivota"?
Tenho esperança que assim procedendo, com a inteligencia do coração, recuperaríamos - não importa que atualidade se apresente - , a energia atemporal e contagiante de" Ragnar, o Rei dos Vikings da Netflix", e ser possível trocar "...toda a sua tecnologia por uma tarde com Sócrates", como desejou Steve Jobs, para assim, despertar do torpor defensivo em que se encontram nossos jovens, perplexos com a complexidade, velocidade e desamparo trazido pelo alvorecer do III Milênio.
Grande abraço.
M. A. V. Moraes

Entre com seu usuário para poder postar um comentário.

Últimos artigos

Quem está Online

Temos 14 visitantes e Nenhum membro online

Palavras-chave

Buscar